A impotência sexual oferece risco de vida?

A impotência sexual masculina que também é chamada de disfunção erétil é definida pela incapacidade de manter (ou mesmo de obter) a ereção do pênis rígida o suficiente para manter uma relação sexual satisfatória para ambos os parceiros.

Esta incapacidade só é considerada uma disfunção quando ocorrer mais ou menos em 60 % das tentativas.

Alguns homens passam por uma situação de incapacidade uma ou duas vezes e já se consideram impotentes. Não ter êxito uma vez ou duas é normal e todos os homens passam por isto pelo menos uma vez na vida, mesmo os que são considerados ainda jovens para uma disfunção.

A impotência sexual por si só, é um problema de saúde que não oferece risco de vida do indivíduo.

Contudo as consequências que podem resultar desta disfunção são a vezes devastadoras levando o paciente a romper relacionamentos, baixando a autoestima e levando a casos profundos de depressão.

Nossa sociedade alimentou por décadas um mito de que o homem deve estar sempre pronto para o ato sexual e não pode “falhar”. Independentemente da situação em que se encontra ele deve responder sempre positivamente na sua performance sexual.

Como já dissemos a doença em si não oferece nenhum risco, mas a pressão sofrida pelo homem, a timidez em falar do problema, as piadas que giram em torno deste fato, acabam afastando o paciente da busca pela solução, que pode ser algo tão simples como comprar tittanus e reativar a libido.

Sem ajuda adequada para superar o problema o paciente vai perdendo a vontade sexual e se sentindo assombrado pelo fantasma do fracasso.

A impotência ou disfunção erétil é causada por vários fatores que geralmente tem solução fácil e rápida, mas para que isto ocorra, é necessário buscar orientação de um profissional que através de sua informações e exames vai chegar ao diagnostico, causa e um tratamento adequado para cada caso.

A causas podem ser:

  • Físicas:

Alcoolismo, uso de drogas, obesidade, doenças crônicas, diabetes, alcoolismo, fumo, hipertensão, uso prolongado de alguns medicamentos, desequilíbrio hormonal e outros.

  • Psicológicas:

As causas psicológicas podem ser provocadas por estresse, ansiedade, trauma emocional, autoestima baixa, medo de “falhar” no ato sexual e outros.

Seja qual for a causa é possível encontrar uma solução juntamente com um profissional da área (urologista) ou se for o caso ele encaminhará para um psicólogo.

Melhores alimentos para emagrecer

Emagrecer nem sempre é uma missão fácil. Por mais que todos saibam que, na teoria, basta ingerir menos calorias do que o corpo gasta no dia, ou fazer o uso do emagrecedor natural bodyfit caps para perder peso, nem sempre sabemos exatamente o que comer, não é mesmo?!

O fato é que além de aumentar a atividade física e reduzir a ingestão de calorias, é importante saber quais os melhores alimentos para emagrecer, afinal, as calorias não são todas iguais como se pensa por aí não.

Além disso, alguns alimentos podem ser especialmente benéficos para o processo de perda de peso, visto que potencializam o funcionamento do intestino, aceleram o metabolismo, aumentam a saciedade e outros.

Então, dito isso, vamos conhecer os melhores alimentos para emagrecer:

  1. Pera

A pera é uma fruta muito benéfica por ser rica em fibras que ajudam o funcionamento dos intestinos e ainda aumentam a saciedade. Mais do que isso, o seu açúcar natural ajuda a eliminar a vontade de comer doces, aumentando os níveis de açúcar no sangue de forma gradual.

Para isso, a dica é consumir uma pera cerca de 20 minutos antes das principais refeições.

  1. Berinjela

Esse alimento também e rico em fibras que contribuem para a regulação intestinal e ainda combatem a má digestão e o colesterol ruim. Mais do que isso, ela também ajuda a aumentar a saciedade.

A berinjela é rica em vitaminas, minerais e água, sendo pobre em calorias, contribuindo para o combate a retenção de líquidos.

  1. Canela

A canela é conhecida por ser um poderoso alimento termogênico, que ajuda a acelerar o metabolismo e potencializar a queima de gordura.

Ela pode ser acrescentada a diversos preparos, tais como sucos, cafés, frutas, chás, bolos, biscoitos e muitos outros.

  1. Arroz integral

A alimentação do brasileiro tem uma forte presença do arroz e o integral é sempre a melhor opção, visto que aumenta a saciedade, em relação ao arroz branco, possibilitando comer menos.

Além disso, por ser de baixo índice glicêmico ele não causa picos de insulina no organismo, como ocorre com a versão refinada.

Ele ainda contém zinco, vitaminas do complexo B e selênio, que são antioxidantes, melhoram o sistema circulatório e ajudam a memória.

Além disso, podemos citar mais alguns alimentos, tais como:

  • Aveia
  • Farelo de Trigo
  • Melancia
  • Chá Verde
  • Linhaça
  • Feijão

Então, procure ter uma alimentação leve, balanceada e que contemple esses alimentos que podem ajudar você a chegar no seu peso ideal. Para saber mais, assista o vídeo abaixo:

Inclua no cardápio os alimentos certos na menopausa

Se você sofre muito com os sintomas da menopausa, sabia que a sua alimentação pode te ajudar a aliviar tudo isso? Pois é! Por isso, inclua no cardápio os alimentos certos nesse período.

Descubra aqui quais são e não erre, no momento de montar o seu cardápio:

Aveia

Por ser rica em fibras, a aveia ajuda a regular o intestino. Além disso, ainda possui a coenzima Q10, que é um antioxidante muito poderoso e também prevê o envelhecimento da pele.

A aveia para as mulheres que estão na menopausa traz mais energia e, com isso, evita o sintoma de fadiga.

Soja

Esse alimento faz muito bem para a vida das mulheres porque é rico em isoflavona, componente que supri a diminuição do estrógeno que acontece na menopausa.

Portanto, como a soja ajuda no equilíbrio hormonal, você terá a sensação da diminuição dos sintomas.

Salmão

Rico em vitaminas D, B12, A, B3, B5, ferro e ômega 3, o salmão contribui muito para a saúde das mulheres, principalmente, para o humor e a longevidade. Isso acontece porque o peixe aumenta os níveis de triptofano no seu sangue, um aminoácido responsável pela formação da serotonina, o famoso hormônio do prazer.

Linhaça

Como um dos sintomas da menopausa é o inchaço que as mulheres sentem, a linhaça tem um papel importante nesse período, já que tem muitas fibras dão uma sensação de saciedade e ajuda na regularização do intestino.

A linhaça também ajuda no controle hormonal, por ser fonte de lignanas, um fito esteroide que supre a diminuição do estrógeno no corpo da mulher.

Cereais integrais

Ricos em vitamina E, os alimentos integrais ajudam na vida sexual da mulher e também auxiliam a dar mais saciedade quando comparamos com alimentos feitos com farinha refinada, por exemplo. Com isso, o organismo terá o nível de açúcar no sangue controlado.

Óleo de prímula

Por ser importante na produção de estrógeno, a prímula ajuda a diminuir as famosas ondas de calor causadas pela menopausa. Além disso, a planta tem uma grande função analgésica.

Assista ao vídeo e conheça mais alimentos para incluir no cardápio para combater os sintomas da menopausa: